Uma F8 portuguesa

É o fado

 

   «Esta semana, na conferência anual F8 (cujo nome, em inglês, se lê “fate”, ou seja, destino), Zuckerberg apresentou planos para mudar o relacionamento das empresas com clientes e para ligar cada vez mais partes do mundo à Internet» («A figura. Mark Zuckerberg», João Pedro Pereira, Público, 16.04.2016, p. 21).

    Pois com certeza, mas, passim, aqui e ali, lê-se que a pronúncia é eff eight. Conclusão? Lê-se das duas maneiras — mais uma, e a que devemos preferir: efe oito.

 

[Texto 6749]

Helder Guégués às 11:05 | favorito
Etiquetas: ,