«Vetar à sorte»?!

Confrangedor

 

      «A Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC) adianta que o número de mortes por insuficiência cardíaca pode aumentar em 73% em 2036 e a carga da doença, que engloba os anos de vida perdidos por morte e incapacidade, vai crescer 28% relativamente a 2014. [...] “Porque ser reanimado é um direito cívico, porque não podemos ter a nossa vida vetada à sorte e porque salvar vidas pode estar nas nossas mãos, aprender Suporte Básico de Vida (SBV) é um passo para não vivermos com ‘o coração nas mãos’”, refere a SPC» («Mata até três vezes mais que o cancro da mama. E já afeta meio milhão de portugueses», TSF/Lusa, 26.04.2019, 8h26).

      Debaixo de quantos olhos — na Sociedade Portuguesa de Cardiologia, na Lusa, na TSF — passou o desconchavo sem ninguém pestanejar? Esta cultura de negligência está demasiado arreigada para mudar da noite para o dia. Mesmo com vontade, que se não vislumbra, vai demorar.

 

[Texto 11 256]

Helder Guégués às 14:38 | favorito
Etiquetas: ,