Vitória pírrica

Como vitória segura

 

 

      «A vitória do PS, infelizmente, foi uma vitória de Pirro... Isto é: que não devia ter sido aclamada com o entusiasmo que o seu líder fez [sic]. O povo falou claro, não quer a direita que está no poder. Mas também quer que o PS dê expressão política ao descontentamento popular”, escreveu o socialista Mário Soares na sua crónica de hoje no “Diário de Notícias”. Pirro foi rei de Épiro [sic] e da Macedónia, ficou famoso pela expressão “Vitória Pírrica” por ter ganho [sic] por um fio a Batalha de Ásculo contra os romanos. Quando o felicitaram, terá respondido: “Mais uma vitória como esta e estou perdido”» («“Mais uma vitória como esta e estou perdido”», Expresso Diário, 27.05.2014).

      Acho que não há uma frase, mesmo as do cronista, que não precise de umas talas para se endireitar, mas estou aqui por causa daquela «Vitória Pírrica» (Pyrrhic victory, para a legião de anglófonos que nos segue) de letra grelada. O leitor (suponho que os leitores de jornais digitais não são nem mais cultos nem mais inteligentes do que os leitores dos jornais tradicionais) pode ficar com a ideia errada de que Pirro proferiu aquela expressão. É como vir a atribuir-se a António José Seguro a expressão «vitória segura» (e mesmo assim ir descalço para a rua, empurrado por António Costa), quando apenas alguns socialistas disseram que os pontos de diferença em relação à coligação de direita são suficientes.

 

[Texto 4637]

Helder Guégués às 13:09 | favorito
Etiquetas: