Vivam os jornais!

Se a gramática não mudou

 

 

      «Morreu ontem, no Leblon, Rio de Janeiro, o escritor João Ubaldo Ribeiro, nascido na ilha da Itaparica, Bahia. […] Ontem, um parceiro de juntar maravilhosamente palavras, Luis Fernando Verissimo, classificou Ubaldo de “o mais delicioso escritor brasileiro.” Um poço de pecados, depois da luxúria, a gula que causava. E causava. Num romance com um título que só um amante ingénuo (e ele não era ingénuo, amantíssimo chegava) podia inventar, “Viva o Povo Brasileiro!”, ele pôs em epígrafe, tabuleta a prevenir o que encontraria lá dentro: “Não existem factos, existem histórias.”» («Viva as bundas ditosas!», Ferreira Fernandes, Diário de Notícias, 19.07.2014, p. 56).

      «Viva o Povo Brasileiro»: está certo. «Viva as bundas ditosas»: está errado (com exclamação ou sem exclamação). O verbo já não concorda com o sujeito?

 

[Texto 4850]

Helder Guégués às 10:51 | comentar | favorito